terça-feira, 6 de outubro de 2009

Qual o dia Bíblico para cultuarmos a Elohim?

Compilado por: por Yossef Chaim Ben Yisrael
Baseado em estudos de diversas fontes


O domingo Foi instituído pelo imperador romano Constantino em sete de março de 321 d.C, como Dia do Sol (Sunday), dia pagão que já era observado a longo tempo no 1º dia da semana, a Igreja Católica aderiu em 364 d.C, através do Concílio de Laodicéia, já como Domingo (dia do Senhor) abolindo o SHABBAT (Sábado), que eles alegaram ser somente dos judeus.
Veja na Enciclopédia on-line: http://pt.wikipedia.org/wiki/Domingo

Na Enciclopédia Britânica podemos ler claramente:

“O mais antigo reconhecimento da observância do domingo como uma obrigação legal é uma constituição de Constantino, de 321 d.C., decretando que todas as cortes de justiça, habitantes de cidades e oficinas repousassem no (venerabili die Solis), exceção feita apenas àqueles que estivesses ocupados em trabalho de agricultura”. –


Fonte: Enciclopédia Britânica (11ª Edição.) Artigo - “Domingo".

“Constantino o Grande, fez uma lei para todo o império, (321 d.C.), instituindo que o Domingo fosse observado como dia de repouso em todas as cidades e vilas; mas permitindo que os camponeses prosseguissem em seus trabalhos”. –Fonte: Enciclopédia Americana, artigo Sábado.

“A idéia de transpor a solenidade do Sábado para o Domingo, é uma idéia estranha aos Hebreus, Inclusive a Yeshua. O Domingo foi justaposto ao Sábado”. “Foi um ecletismo político de Constantino que queria agradar tanto a Gregos quanto a Romanos adoradores do sol.
Fonte: A Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Vol. IX pág. 232 item Domingo.

No Concílio de Laodicéia de forma oficial e sem nenhuma intervenção divina, o Poder Papal mudou o dia de guarda, o Sábado para o Domingo: “Os cristãos não devem Israelitizar, ou estar ociosos no Sábado, mas trabalharão nesse dia; o Dia do Senhor (Domingo), entretanto, o honrarão especialmente; e como Cristãos não devem se possível fazer qualquer trabalho nele. Se, porém, forem achados guardando o sábado, serão separados de Cristo”. Os Hebreus nunca quebrariam o sábado a adoração no domingo é uma doutrina do cristianismo e nada tem haver com A fé Avraâmica nem com a Bíblia. Fonte: Cânon 29, do Concílio de Laodicéia, em 364 d.C.

O 4º MANDAMENTO MUDADO PARA O DOMINGO?

OFrei Mauro responde em seu livro na pág. 65
“A Bíblia fala em guardar o Sábado como o dia do Senhor; a Igreja manda observar o Domingo. O importante é a observância do dia do Senhor”. O frei diz mais: “A palavra Domingo’’ como designativo do dia do Senhor (dies domini) foi usada na Igreja cristã pela primeira vez por são Justino”. “Bíblia: Perguntas que o povo faz”. Pág. 65
Cardeal Gibbon’s em “A Fé de Nossos Pais, 1892, pág. 89”.
“Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse, e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do Domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do Sábado”. CATECISMO DA CONVERSÃO:

Perguntas e respostas Peter Giereaman, 1948, página 50:
Qual é o dia do Senhor?
R: É o dia de Sábado.
Porque observamos o Domingo e não o Sábado?
R: Porque a Igreja Católica, mãe do cristianismo transferiu a solenidade de Sábado para Domingo.

Enciclopédia Católica, Volume 4, página 153:
A Igreja depois de trocar o dia de descanso o Sábado dos Yisraelitas, ou o sétimo dia da semana, para o primeiro dia, anulou o quarto mandamento e induziu varias pessoas a guardar o domingo como se fosse o dia santo do Senhor.

Karl Keating um dos mais famosos autores Católicos escreveu sobre fundamentalismo e Protestantismo no livro CATOLICISMO e FUNDAMENTALISMO, 1988, página 38; Veja abaixo:

...os fundamentalistas se reúnem para adorar no Domingo. No entanto ainda não existe evidências na Bíblia que a adoração conjunta deveria ser aos Domingos. O Sábado Yisraelita, dia de descanso, era naturalmente no Sábado. Foi a Igreja Católica que decidiu que o Domingo deveria ser o dia de adoração para os cristãos, em honra da ressurreição, mas isso não é Bíblico e se torna rebeldia contra o Adonay.
CATECISMO CONTROVERSO pág. 60, que responde as controvérsias de diversos temas:
P: Quando os protestantes profanam o trabalho no Sábado, ou no sétimo dia da semana, eles estão seguindo as escrituras como única regra de fé?
R: Pelo contrário, eles têm apenas a autoridade da tradição para está prática. Ao profanar o Sábado, eles violam um dos mandamentos de Elohim, que em seus princípios nunca foi revogado: “Lembra-te do dia de Sábado para o santificar”.
Documento católico chamado “CANONE E TRADIÇÃO, pág. 263” relata o seguinte:
“A autoridade da Igreja não poderia estar presa à autoridade das Escrituras, porque a Igreja havia mudado o Sábado para o Domingo, não por comando de Cristo, mas por sua própria “autoridade””.


Versículos para reflexão:
(Mateus 15: 8, 9) “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens”.
(Atos 5: 29) “ Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Elohim que aos homens.”
(Êxodo 20:10-11) “mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Elohim; não farás nenhuma obra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado e o santificou.”
(Deuteronômio 5:12) “Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR, teu Elohim.”
(Isaías 56:2) “Bem-aventurado o homem que fizer isso, e o filho do homem que lançar mão disso, que se guarda de profanar o sábado e guarda a sua mão de perpetrar algum mal.”


Yeshua, (Jesus) Guardava o Shabbat e você?

(Marcos 1:21) “Entraram em Cafarnaum, e, logo no sábado, indo ele à sinagoga, ali ensinava.”
(Marcos 6:2) “E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm essas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos?”
((Lucas 4:16) “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se para ler.”
(Lucas 6:6) “E aconteceu também, em outro sábado, que entrou na sinagoga e estava ensinando; e havia ali um homem que tinha a mão direita mirrada.”
(Lucas 13:10) “E ensinava no sábado, numa das sinagogas.”
Lucas 6:6) “E aconteceu também, em outro sábado, que entrou na sinagoga e estava ensinando; e havia ali um homem que tinha a mão direita mirrada.”
(Lucas 13:10) “E ensinava no sábado, numa das sinagogas.”

Os Talmidim (discípulos) também guardavam o Sábado.

(Atos 13:14) “E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia da Pisídia e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram-se.”
(Atos 16:12-13) “e dali, para Filipos, que é a primeira cidade desta parte da Macedônia e é uma colônia; e estivemos alguns dias nesta cidade. No dia de sábado, saímos fora das portas, para a beira do rio, onde julgávamos haver um lugar para oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.”


Veja quem admite o Domingo no cristianismo: Igreja Católica (que o criou), Igrejas Evangélicas e Espíritas; o Ecumenismo ou união já é uma realidade entre todas as religiões, principalmente na mãe do cristianismo, através do papa João Paulo II o ecumenismo se tornou realidade; e breve virá a Lei Dominical que será Símbolo e Sinal da união de todas as religiões para a “paz mundial”.
Veja dois trechos da carta do Papa “Dies Domini” de 31 de maio de 1998 que comprovam a futura observância do Domingo:
"27... De facto, uma perspicaz intuição pastoral sugeriu à Igreja de cristianizar, o paganismo romano, aplicando ao domingo, a conotação de dia do sol, expressão esta que os romanos já denominavam neste dia e que ainda aparece em algumas línguas contemporâneas, (29) subtraindo os fiéis às seduções de cultos que divinizavam o sol e orientando a celebração deste dia para Cristo...".
67. Por isso, é natural que os cristãos se esforcem para que, também nas circunstâncias específicas do nosso tempo, a legislação civil tenha em conta o seu dever de santificar o domingo. (Dies Domini, João Paulo II, 31 de maio de 1998 - Carta Apostólica).


Conclusão


“O domingo é um dia de adoração pagã, dedicado ao deus sol, um dia de adoração cristã criado pela igreja católica e venerado pelos seus seguidores ou por pessoas que ainda não foram despertadas;”

Atenção: não creia em nada do que você leu aqui, pesquise nas fontes biblicas e históricas e só então tire suas conclusões!


Shalom Alechem!

3 comentários:

  1. Vale ressaltar que o sábado não é somente para os judeus é também para o estrangeiro(gentios) que peregrinar e abraçar as alianças eternas que o Eterno fez com Avraham e a sua descendência(Ysrael).Yshaihu(isaias) cap 56 v 6 e 7.

    ResponderExcluir
  2. o Shabat é para o povo de Yisrael e para o estrageiro que desejar obedecer a vontade de Elohim. os judeus não são o povo de Yisrael. Vide estudo a verdadeira indentidade do povo de Yisrael.

    Shalom Alechem!

    ResponderExcluir
  3. Porque tanta ênfase na "santificação" de um dia?

    ResponderExcluir

Esse é o espaço em que você interage seus pensamentos.